Olá, Pessoal!

Seguem as 10 questões de auditoria governamental da prova do TCE-CE comentadas.

De maneira geral, achei a prova bem tranquila, sendo que 9 das 10 questões estavam literais nas minhas aulas. Tenho certeza de que quem estudou pelo nosso material se saiu muito bem!

A princípio, concordo com o gabarito preliminar.

Abraços,

Rodrigo Fontenelle

www.facebook.com/profrodrigofontenelle

  1. A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial das entidades da Administração direta e indireta será exercida mediante o controle externo e pelo sistema de controle interno de cada Poder. No âmbito do Estado do Ceará, uma auditoria de natureza patrimonial em determinada secretaria estadual, por iniciativa da Assembleia Legislativa, será realizada:

(A) pela comissão permanente de fiscalização e controle da Assembleia Legislativa.

(B) pelo sistema de controle interno do Poder Executivo.

(C) pelo Tribunal de Contas do Estado.

(D) pela Auditoria Interna da secretaria.

(E) pelo Tribunal de Contas dos Municípios.

Gabarito Preliminar: C

Comentários:

O Controle Externo no Brasil, em todas as esferas de governo, é atribuição do Poder Legislativo, que conta com o apoio dos Tribunais de Contas, enquanto o Controle Interno é exercido por órgãos inseridos nos Três Poderes, com essa atribuição.

No caso em tela, o “braço operacional” da Assembleia Legislativa do Ceará é justamente o TCE-CE.

Isso estava na página 07 da nossa aula 16.

  1. Os elementos de convicção dos trabalhos efetuados pelo profissional de auditoria governamental, devidamente documentados, e que devem ser adequados, relevantes e razoáveis para fundamentar a opinião e as conclusões, segundo as Normas de Auditoria − aplicáveis ao controle externo, são denominados de:

(A) certificados de auditoria.

(B) relatórios de auditoria.

(C) achados de auditoria.

(D) procedimentos de auditoria.

(E) evidências de auditoria.

Gabarito Preliminar: E

Comentários:

Segundo as NAGs, Evidências de Auditoria são elementos de convicção dos trabalhos efetuados pelo profissional de auditoria governamental, devidamente documentados, e que devem ser adequadas, relevantes e razoáveis para fundamentar a opinião e as conclusões.

Isso estava na página 07 da nossa aula 11.

  1. Determinado servidor do Tribunal de Contas foi designado para realizar trabalhos de auditoria governamental em determinada entidade do setor público. Segundo as Normas de Auditoria Governamental − NAGs, a execução destes trabalhos NÃO inclui:

(A) a identificação dos responsáveis pelos prejuízos apurados, quando houver.

(B) a avaliação de controles, eventos, operações e transações.

(C) o exame de registro e documentos.

(D) a obtenção da opinião do ente auditado.

(E) a documentação das informações em meio eletrônico ou físico.

Gabarito Preliminar: A

Comentários:

Segundo as NAGs, a execução dos trabalhos de auditoria governamental deve incluir:

– A avaliação de controles, eventos, operações e transações; o exame de registro e documentos; a realização de provas e a documentação das informações em meio eletrônico ou físico.

– O desenvolvimento das constatações ou achados de auditoria encontrados durante os exames, mediante análise de critérios, causas e efeitos.

– A obtenção da opinião do ente auditado.

– O desenvolvimento de conclusões e recomendações.

Dessa forma, não se inclui a identificação dos responsáveis pelos prejuízos apurados, quando houver.

  1. Determinado Tribunal de Contas pretende realizar auditoria em um hospital público estadual, com o objetivo de verificar a regularidade das compras de medicamentos. Segundo as Normas de Auditoria – NAT, um dos modos mais efetivos para assegurar que um relatório seja imparcial, objetivo e completo é:

(A) emitir o relatório de auditoria após a análise da defesa apresentada por parte dos dirigentes da entidade auditada.

(B) submeter os achados de auditoria, preliminarmente à emissão do relatório, ao responsável pelo controle interno da entidade auditada, para que efetue as devidas correções.

(C) encaminhar cópia do relatório preliminar aos responsáveis pelas impropriedades e infringências detectadas na auditoria para que apresentem defesa.

(D) submeter o relatório preliminar para obtenção de comentários por parte dos dirigentes da entidade auditada.

(E) contratar especialistas no objeto a ser auditado e elaborar o relatório após dar ciência dos resultados alcançados aos dirigentes da entidade auditada.

Gabarito Preliminar: D

Comentários:

Segundo as NAT, um dos modos mais efetivos para assegurar que um relatório seja imparcial, objetivo e completo é submeter o relatório preliminar para obtenção de comentários por parte dos dirigentes da entidade auditada.

Isso estava na página 36 da nossa aula 10.

  1. A auditoria realizada em determinada autarquia pública na qual o relatório emitido pelos auditores aborda os aspectos da economicidade e da eficiência na aquisição e aplicação dos recursos, assim como da eficácia e da efetividade dos resultados alcançados, refere-se à auditoria:

(A) de gestão de recursos.

(B) operacional.

(C) de acompanhamento de gestão.

(D) de avaliação de gestão.

(E) orçamentária.

Gabarito Preliminar: B

Comentários:

Segundo as Normas de Auditoria do TCU, as auditorias operacionais objetivam examinar a economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações, programas e atividades governamentais, com a finalidade de avaliar o seu desempenho e de promover o aperfeiçoamento da gestão pública.

Isso estava na página 05 da nossa aula 10.

No exame das contas bancárias − Bancos Conta Movimento do Balanço Patrimonial da Empresa de Distribuição de Gás e Gasolina para os hospitais estaduais, o auditor independente constatou que o encarregado da tesouraria da entidade desviou R$ 90.000,00 para conta bancária própria. Para justificar-se, foi apresentada ao auditor a quitação de uma duplicata referente a uma compra fictícia. Segundo às Normas de Auditoria − NBC TAs, o ato praticado pelo encarregado da tesouraria caracteriza:

(A) uma evidência de auditoria que produz distorções irrelevantes nas demonstrações contábeis da entidade.

(B) uma fraude, cuja responsabilidade pela prevenção e detecção é do auditor independente.

(C) um roubo, cuja responsabilidade pela prevenção e detecção é do controle interno da entidade.

(D) uma fraude, cuja responsabilidade pela prevenção e detecção é dos responsáveis pela governança da entidade e da sua administração.

(E) um desvio de ativo, cuja responsabilidade pela prevenção e detecção é do conselho fiscal da entidade.

Gabarito Preliminar: D

Comentários:

Segundo a NBC TA 240, o termo fraude refere-se a ato voluntário, intencional, resultante de omissão ou manipulação de transações, adulteração de documentos, informações, registros e demonstrações. Além disso, essa mesma norma estabelece que a principal responsabilidade pela prevenção e detecção da fraude é dos responsáveis pela governança da entidade e da sua administração.

Isso estava na página 25 e 26 da nossa aula 03.

  1. Nas auditorias realizadas sobre processo de prestação de contas anual, no âmbito do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal, o documento que consignará qualquer irregularidade ou ilegalidade constatada, indicando as medidas adotadas para corrigir as falhas identificadas, bem como avaliará a eficiência e a eficácia da gestão, inclusive quanto à economia na utilização dos recursos públicos, submetendo os autos à autoridade ministerial para pronunciamento e posterior remessa ao Tribunal de Contas da União, é denominado de:

(A) registro de constatações de auditoria de gestão.

(B) parecer do dirigente do órgão de controle interno.

(C) papéis de trabalho de auditoria de gestão.

(D) relatório anual de contas do órgão de controle interno.

(E) parecer dos auditores do órgão de controle interno.

Gabarito Preliminar: B

Comentários:

Segundo a IN SFC/MF nº 01/2001, o parecer consignará qualquer irregularidade ou ilegalidade constatada, indicando as medidas adotadas para corrigir as falhas identificadas, bem como avaliará a eficiência e a eficácia da gestão, inclusive quanto à economia na utilização dos recursos públicos.

Isso estava na página 34 da nossa aula 09.

  1. A gestão fiscal, de acordo com a Lei Complementar no 101/2000, será fiscalizada no âmbito do controle externo pelos Tribunais de Contas. Dentre as ênfases da fiscalização, NÃO se:

(A) inclui a destinação de recursos obtidos com a alienação de ativos.

(B) incluem os limites e as condições para realização de operações de crédito e inscrição em Restos a Pagar.

(C) incluem as medidas adotadas para o retorno da despesa total com pessoal ao respectivo limite.

(D) inclui o atingimento das metas estabelecidas na Lei Orçamentária Anual.

(E) inclui o cumprimento do limite de gastos totais dos legislativos municipais, quando houver.

Gabarito Preliminar: D

Comentários:

Segundo a LRF, o Poder Legislativo, diretamente ou com o auxílio dos Tribunais de Contas, e o sistema de controle interno de cada Poder e do Ministério Público, fiscalizarão o cumprimento das normas desta Lei Complementar, com ênfase no que se refere a:

I - atingimento das metas estabelecidas na lei de diretrizes orçamentárias;

II - limites e condições para realização de operações de crédito e inscrição em Restos a Pagar;

III - medidas adotadas para o retorno da despesa total com pessoal ao respectivo limite, nos termos dos arts. 22 e 23;

 

IV - providências tomadas, conforme o disposto no art. 31, para recondução dos montantes das dívidas consolidada e mobiliária aos respectivos limites;

V - destinação de recursos obtidos com a alienação de ativos, tendo em vista as restrições constitucionais e as desta Lei Complementar;

VI - cumprimento do limite de gastos totais dos legislativos municipais, quando houver.

Isso estava na página 46 da nossa aula 09.

  1. Em determinada empresa pública estadual, está planejado para o mês de agosto de 2015 a realização de auditoria interna nas contas do ativo imobilizado da empresa. Assim, para alcançar os objetivos da auditoria serão aplicados testes de auditoria. Segundo a NBC TI 01, visam à obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelos sistemas de informação da entidade os testes de auditoria denominados de:

(A) controles.

(B) verificações.

(C) substantivos.

(D) confirmações.

(E) observância.

Gabarito Preliminar: C

Comentários:

Segundo a NBC TI 01, os testes substantivos visam à obtenção de evidência quanto à     suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelos sistemas de informação da entidade.

Isso estava na página 17 da nossa aula 01.

  1. Na auditoria das demonstrações contábeis do exercício de 2014 da Companhia de Distribuição de Águas e Limpeza de Mananciais do Estado, o auditor constatou diversas distorções. Tendo o auditor obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, concluiu que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes, mas não generalizadas nas demonstrações contábeis. Nestas condições, de acordo com as Normas de Auditoria NBC TAs, deve o auditor:

(A) expressar uma opinião com ressalva.

(B) considerar as demonstrações contábeis irregulares.

(C) expressar uma opinião adversa.

(D) considerar as demonstrações contábeis regulares, com ressalvas.

(E) expressar uma opinião sem ressalva, mas com recomendação.

Gabarito Preliminar: A

Comentários:

Segundo a NBC TA 705, opinião com ressalva é o tipo de opinião apropriada nos casos em que o auditor obteve evidência e constata a existência de distorção relevante nas demonstrações contábeis (embora não generalizadas), ou quando há impossibilidade do auditor em obter evidência de auditoria suficiente e adequada.

Isso estava na página 7 da nossa aula 05