">

Olá, Drs

Definitivamente, a ESAF, tirando as costumeiras questões mal elaboradas, não quis complicar em contabilidade nas provas de auditor e analista da Receita em 2009.Provas tranqüilas, seguindo o padrão conservador da banca (nada de explorar a fundo as novidades). Bom para quem seguiu o kit básico: resolução de provas anteriores (não tem mistério, esse é O CAMINHO).

Vamos à resolução das questões:

 

21- A empresa Gregório, Irmãos & Cia. Ltda., possuindo Disponibilidades de R$ 2.730,00, Imobilizações de R$ 3.270,00 e Dívidas de R$ 2.900,00, realizou duas transações:

1. a compra de uma máquina por R$ 2.000,00, pagando 20% de entrada; e

2. a venda de um equipamento por R$ 3.000,00, perdendo 30%.

Concluídas as operações, e devidamente registradas, pode-se afirmar com certeza que essa firma tem:

a) prejuízos de R$ 500,00.

b) passivo exigível de R$ 4.500,00.

c) patrimônio líquido de R$ 3.100,00.

d) passivo a descoberto de R$ 900,00.

e) ativo de R$ 4.600,00.

 

Gabarito:  “B”

=> Inicialmente: Ativo= 6.000, Passivo Exigível = 2.900 e PL = 3.100 (pela diferença entre Ativo e Passivo).

Foram dados dois fatos contábeis:

---------------------

Fato 1)

D – Máquina ----------- 2.000,00

C – Caixa-------------------400,00

C – Contas a Pagar---1.600,00

Nesse momento, Ativo = 7.600,  Passivo Exigível = 4.500 e PL = 3.100

----------------------

Fato 2)

D –Caixa/Contas a Receber-- 3.000,00

D – Perda de Capital----------------900,00

C- Máquina---------------------------3.900,00

---------------------------

O patrimônio ficou, então, com Ativo = 6.700,  Passivo Exigível = 4.500 e PL = 2.200. Não há passivo a descoberto e o prejuízo é no valor de 900. => Logo, ALTERNATIVA B

 

 

22- Observemos o seguinte fato contábil: pagamento, mediante a emissão de cheque, de uma duplicata antes do vencimento, obtendo-se um desconto financeiro, por essa razão.

Para que o registro contábil desse fato seja feito em um único lançamento, deve-se utilizar a

a) primeira fórmula, com 1 conta devedora e 1 conta credora.

b) segunda fórmula, com 1 conta devedora e 2 contas credoras.

c) terceira fórmula, com 2 contas devedoras e 1 conta credora.

d) quarta fórmula, com 2 contas devedoras e 2 contas credoras.

e) terceira fórmula, com 3 contas devedoras e 1 conta credora.

 

Gabarito:  “B”

=> Questão muito fácil. Lançamento feito “trocentas” vezes durante nosso curso:

D – Duplicatas a Pagar ------

C – Banco C/ Mov---------------

C - Desconto Obtido-----------

Um débito e mais de um crédito (“12”): lançamento de 2ª fórmula. => ALTERNATIVA B

 

23- Determinada empresa, cujo exercício social coincide com o ano-calendário, pagou a quantia de R$ 1.524,00 de prêmio de seguro contra incêndio no dia 30 de setembro de 2007.

A apólice pertinente a essa transação cobre riscos durante o período de primeiro de outubro de 2007 a 30 de setembro de 2008.

Considerando o princípio da competência de exercícios, o Contador da empresa registrou o pagamento dos gastos na conta Seguros a Vencer.

No balanço patrimonial de 31 de dezembro de 2007, após as apropriações de praxe, o saldo desta conta, “Seguros a Vencer”, deverá ser de

a) R$ 1.260,00.

b) R$ 381,00.

c) R$ 1.055,00.

d) R$ 1.172,20.

e) R$ 1.143,00.

 

Gabarito:  “E”

=> Qualquer semelhança com as questões 94 e 95 do nosso curso...

R$ 1.524 por um seguro anual, logo, R$ 127,00 por mês. O lançamento no dia 30 de setembro foi:

D- Seguros a Vencer (despesa paga antecipadamente é ativo)--- 1.524,00

C- Caixa------------------------------------------------------------------------------ -1.524,00

No final de cada mês, deve ser feita a apropriação da despesa de seguros:

D- Despesa de Seguros--- 127,00

C- Seguros a Vencer------- 127,00 => todo final de mês o saldo de seguros a vencer vai diminuir em R$ 127

O lançamento acima vai ser feito no final de OUT, NOV e DEZ, logo, em 31/12/07, “Seguros a Vencer” terá saldo de R$ 1.143,00. => ALTERNATIVA E

 

 

24- No encerramento do exercício social, quando ainda resta saldo não utilizado na conta Provisão para Devedores Duvidosos, necessário se faz contabilizar a reversão desse saldo. Nesse caso, o lançamento de ajuste a ser feito deverá ser:

a) creditando-se a conta de Provisão e debitando-se a conta de Lucros Acumulados.

b) creditando-se a conta de Provisão e debitando-se a conta de Resultado do Exercício.

c) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Lucros Acumulados.

d) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Resultado do Exercício.

e) debitando-se a conta de Provisão e creditando-se a conta de Despesa.

Gabarito:  “D”

=> Questão fácil. A reversão da provisão para devedores duvidosos ocorre mediante o seguinte lançamento:

D – Provisão para Devedores Duvidosos ------

C – Reversão de PDD----------------------------------

Reversão de PDD (assim como toda e qualquer reversão de provisão) é conta de Receita.

Ou seja, no lançamento acima, foi debitada a conta de Provisão e creditada UMA conta de resultado (foi isso que o elemento quis dizer...) => ALTERNATIVA D

 

 

25- Assinale abaixo a opção que contém uma afirmativa falsa.

a) A legislação do imposto sobre a renda dispensa determinadas pessoas jurídicas da obrigatoriedade da

manutenção de escrituração contábil e fiscal.

b) O prejuízo do exercício será obrigatoriamente absorvido pelos lucros acumulados, pelas reservas de lucros e pela reserva legal, nessa ordem.

c) Os bens de uso do ativo imobilizado deverão ser depreciados a partir do momento de sua aquisição,

mesmo que permaneçam estocados para utilização futura.

d) Existe um piso, atualizado periodicamente pela Receita Federal, para incorporação de bens ao ativo

imobilizado. Os bens adquiridos para uso, com valor inferior, deverão ser contabilizados como despesas

operacionais.

e) Do resultado do exercício serão deduzidos, antes de qualquer participação, os prejuízos acumulados e a

provisão para o imposto sobre a renda.

 

Gabarito:  “C”

Vamos analisar as alternativas:

A=> “Correta”. Se o examinador tiver uma crise de consciência – o que é difícil – pode até anular essa. As empresas tributadas pelo Lucro Presumido/Simples não são obrigadas a manter o Diário nem o Razão; devem, no entanto, manter o Livro Caixa, no qual deverá estar escriturada toda a movimentação financeira, inclusive bancária, e o Livro Registro de Inventário.

B=> Correta. Art. 189, parágrafo único, literal, do jeitinho que está na lei. Como disse, nem pensar em ir para a prova sem ler (e reler) os artigos 175 a 205 da Lei 6.404/76.

C=> FALSA. A depreciação, como regra, começa a partir da utilização.

D=> Correta. Falamos sobre isso nas vídeo-aulas. Abaixo de R$ 326,61, lançamos direto em despesa (não vai para o Imobilizado)

E=> Correta. Mais uma literal da Lei 6404/76 – artigo 189, caput. => ALTERNATIVA C

 

 

26- A empresa Hélices Elíseas S.A. já tinha máquinas e equipamentos adquiridos em outubro de 2007, por

R$ 8.000,00, quando comprou outra, em primeiro de abril de 2008, por R$ 6.000,00 e mais outra, por R$ 10.000,00, em primeiro de outubro de 2008. Sabendo-se que a vida útil desses equipamentos é de

apenas dez anos, podemos dizer que, no balanço de 31 de dezembro de 2008, o seu valor contábil será de

a) R$ 22.500,00.

b) R$ 22.300,00.

c) R$ 21.600,00.

d) R$ 21.400,00.

e) R$ 20.800,00.

 

Gabarito Peliminar:  “A” – CABE RECURSO => Alteração para alternativa “B”

A ESAF tá tomando gosto com esse tipo de questão: calcular a depreciação acumulada levando em consideração que os bens entraram no patrimônio em datas diferentes (Auditor de Natal 2008 - questão 143 do curso - e Auditor da RF 2009). Não tem erro, é só separar direitinho, lembrando que a questão não fala em valor residual e que a taxa anual vai ser de 10% (logo, a trimestral vai ser 2,5%):

1º passo)  Valor contábil, em 31.12.08, das máquinas adquiridas em outubro de 2007

Máquinas ----------------------------8.000,00

(-) Depreciação Acumulada----(1.000,00) => 12,5 % de depreciação acumulada

Valor Contábil------------------------7.000,00

 

2º passo)  Valor contábil, em 31.12.08, da máquina adquirida em abril de 2008

Máquinas ----------------------------6.000,00

(-) Depreciação Acumulada----(750,00) => 7,5 % de depreciação acumulada

Valor Contábil------------------------5.550,00

 

3º passo)  Valor contábil, em 31.12.08, da máquina adquirida em outubro de 2008

Máquinas ----------------------------10.000,00

(-) Depreciação Acumulada-------(250,00) => 2,5 % de depreciação acumulada

Valor Contábil------------------------9.750,00

 

Somando os valores contábeis temos: 7.000 + 5.550 + 9.750 = R$ 22.300,00 => ALTERNATIVA B

 

 

27- A Companhia Alimentos Genéricos S.A. extraiu do seu Livro Razão, em 31 de dezembro de 2008, as seguintes contas e respectivos saldos:

Vendas de Produtos                          2.000,00

Capital Social                                     1.590,00

Custo dos Produtos Vendidos         1.190,00

Máquinas e Equipamentos              981,00

Duplicatas a Receber                        390,00

Mercadorias                                        380,00

Caixa                                                    305,00

ICMS sobre Vendas                          210,00

Despesas Gerais e Administrativas 200,00

Salários                                                               140,00

Fornecedores                                     130,00

ICMS a Recolher                                120,00

Ações em Tesouraria                        30,00

Duplicatas Descontadas                  84,00

Depreciação Acumulada                 67,00

Empréstimos Bancários                   36,00

Despesas Pré-Operacionais           132,00

Juros Passivos a Vencer                  85,00

Provisão para Devedores Duvidosos 16,00

Ao fim do exercício, o inventário de mercadorias foi calculado em R$ 3.800,00, o imposto de renda foi provisionado em 25% do lucro líquido contábil e o restante do lucro foi transferido para reservas.

Ao elaborarmos o balancete geral de verificação, a partir dos dados listados, certamente, encontraremos saldos contábeis, devedores e credores, no valor de

a) R$ 4.013,00.

b) R$ 3.911,00.

c) R$ 3.959,00.

d) R$ 3.876,00.

e) R$ 4.043,00.

 

Gabarito:  “E” – CABE RECURSO!!!

=> Parece que a ESAF não consegue fazer uma prova de contabilidade para a Receita sem problemas (a questão nº 3 de Auditor Fiscal que o diga)...

A resposta dada como correta leva em consideração os saldos tais como apareceram na relação inicial, a saber:

NATUREZA DEVEDORA                     R$          NATUREZA CREDORA      R$

Custo dos Produtos Vendidos             1.190     Vendas de Produtos            2.000

Máquinas e Equipamentos                  981        Capital Social                        1.590

Duplicatas a Receber                            390        Fornecedores                        130

Mercadorias                                            380        ICMS a Recolher                  120

Caixa                                                        305        Duplicatas Descontadas     84

ICMS sobre Vendas                              210        Depreciação Acumulada    67

Despesas Gerais e Administrativas   200        Empréstimos Bancários     36

Salários                                                    140                                                         16

Ações em Tesouraria                            30                                                           

Despesas Pré-Operacionais               132                                                        

Juros Passivos a Vencer                      85                                                           

TOTAL DEV                                             4.043     TOTAL CRE                           4.043

Querendo fazer uma pegadinha – doido para que o aluno, sem necessidade,  calculasse o IR e fizesse a transferência do resultado para p/ PL – ele se deu mal, pois, para começo de conversa, o saldo de mercadorias dever constar pelo valor do estoque final (inventário). Só aí, seguindo o que ele imaginou para a questão, os saldos devedores saltariam para R$ 7.463,00. Deste modo, não há como o total de saldos devedores ficar em 4.043.

=> CABE ANULAÇÃO

 

28- No balanço de encerramento do exercício social, as contas serão classificadas segundo os elementos do

patrimônio que registrem e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia.

No ativo patrimonial, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, compondo os seguintes grupos:

a) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; investimentos; ativo imobilizado; e intangível.

b) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; e ativo permanente, dividido em investimentos, ativo imobilizado e ativo diferido.

c) ativo circulante; e ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível.

d) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; investimentos; ativo imobilizado; e ativo diferido.

e) ativo circulante; e ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos,

imobilizado e diferido.

 

Gabarito:  “C”

=> Em uma disputa acirrada, conseguiu ser a mais fácil da prova. Quem leu qualquer coisinha de contabilidade no último ano fez a questão.

 

 

29- Em relação ao encerramento do exercício social e à composição dos grupos e subgrupos do balanço, assinale abaixo a opção falsa.

a) No ativo circulante, serão incluídas as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social e

as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte.

b) No intangível, serão classificados os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da companhia ou exercidos com essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido.

c) Na companhia em que o ciclo operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou longo prazo terá por base o prazo desse ciclo.

d) Em investimentos, serão classificadas as participações permanentes em outras sociedades e os direitos de

qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante, e que não se destinem à manutenção da atividade da companhia ou da empresa.

e) No ativo imobilizado, serão classificados os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios, riscos e controle desses bens.

 

Gabarito:  “A”

=> Mais uma de Lei 6404/76. Cuidado com a pegadinha dele: no ativo circulante, serão incluídas as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social SUBSEQUENTE e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. No mais, tudo do jeitinho que está na lei.

 

 

30- A Companhia Cereais Sereias, em 31 de dezembro de 2008, apresentou o seguinte rol de contas e saldos:

Ações em Tesouraria                                          100,00

Caixa                                                                        696,00

Despesas Pré-Operacionais                                 95,00

Mercadorias                                                        1.293,00

Empréstimos Bancários                                       120,00

Provisão para Devedores Duvidosos                  35,00

Custo dos Produtos Vendidos                        5.582,00

Fornecedores                                                         437,00

Capital Social                                                     4.591,00

Duplicatas a Receber                                       1.302,00

Vendas de Produtos                                         7.675,00

Duplicatas Descontadas                                     280,00

Despesas Gerais e Administrativas               1.141,00

Máquinas e Equipamentos                             3.106,00

Juros Passivos a Vencer                                       48,00

Depreciação Acumulada                                    225,00

Ao realizar o levantamento do balanço patrimonial, o Contador da empresa certamente encontrará um Ativo

total no valor de

a) R$ 5.625,00.

b) R$ 6.000,00.

c) R$ 5.905,00.

d) R$ 5.720,00.

e) R$ 6.100,00.

 

Gabarito:  “B”

=> Em meio a uma prova bem tranqüila, nessa questão ele “quis onda”. A intenção clara foi confrontar o candidato com o seguinte problema: despesa pré-operacional é DESPESA (alternativa C) ou ATIVO (alternativa B)? O grande lance estava na data de referência 31/12/2008: à época, ainda era possível a classificação das despesas pré-operacionais no ATIVO DIFERIDO.  Por conta do enfoque na data, a questão ficou difícil.

ATIVO:

Caixa-----------------------------------------696,00

Despesas Pré-Operacionais-----------95,00

Mercadorias-----------------------------1.293,00

PDD--------------------------------------------(35,00)

Duplicatas a Receber-----------------1.302,00

Duplicatas Descontadas--------------(280,00)

Máquinas e Equipamentos----------3.106,00

Juros Passivos a Vencer----------------48,00

Depreciação Acumulada--------------(225,00)

TOTAL---------------------------------------6.000,00

 

Balanço final: prova fácil, com uma questão mal elaborada (Q. 27) e outra, acredito, feita já com a intenção de ser polêmica (Q. 30).

 

Sejamos francos: quem efetivamente acompanhou meus cursos teve plenas condições de desenrolar essas provas de contabilidade. Na de analista, nenhuma conta nova, nenhum raciocínio novo. Tudo dentro do previsto.

Na de auditor, dava para fazer pelo menos 70% (mesmo o curso sendo voltado para analista!).

 

No mais é agradecer bastante e desejar muita Saúde e Paz a todos!

 

Marcondes Fortaleza